Telmário protesta contra ataque a índios e acusa governo de esvaziar a Funai

Marcos Oliveira

Ao protestar contra o ataque, que classificou como monstruoso, a índios da etnia gamela, em Viana (MA), o senador Telmário Mota (PTB-RR) acusou o governo federal, nesta quinta-feira (4), de “desidratar” a Fundação Nacional do Índio (Funai). Além do esvaziamento da autarquia, segundo o parlamentar, a responsabilidade pelo ataque pode ser atribuída “à lentidão da Justiça e às forças ocultas”, como se referiu ao poder econômico.

O resultado, acrescentou, foi “uma verdadeira barbaridade, uma chacina, com muita crueldade, em que deceparam órgãos dos povos indígenas” — segundo o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) informou que o gamela Aldeli Ribeiro levou dois tiros na coluna e teve as mãos decepadas a golpes de facão.

Para o senador, é “inconcebível” que, no ano de 2017, ainda existam terras indígenas sem demarcação e que 471 áreas estejam em litígio. Dessas, conforme o senador, só 3% foram demarcadas. A grande demarcação, lembrou, ocorreu em seu estado, Roraima, onde estão as reservas dos Yanomami, da Raposa Serra do Sol e de São Marcos, entre outras.

— Então, nosso estado já compensou, de forma justa, aqueles que são os originários do nosso país. Agora, os outros estados criam dificuldades — ressaltou, em discurso no Plenário.

Agência Senado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*