Telmário e os povos indígenas

Foto: Jefferson Rudy

Foto: Jefferson Rudy

No dia internacional dos povos indígenas o senador Telmário Mota (PTB-RR), descendente da etnia Macuxi faz um apelo aos governos federal, estaduais e a todas as autoridades do país para que esse verdadeiro APARTHEID que existe no Brasil de preconceito e até em alguns casos segregação das pessoas para com os povos indígenas tenha fim.

“Não se pode mais admitir que em alguns setores da sociedade  ainda exista falta de reconhecimento e até mesmo desconhecimento da realidade histórica das nossas populações indígenas. No passado, atentados e verdadeiros massacres quase dizimaram populações inteiras por ganância, disputas de terras e bens da natureza que eram preservados pelos povos indígenas,” lamenta o Senador.

E lembra que várias vidas foram tiradas dos povos indígenas, interrompendo tradições, manifestações culturais e religiosas e hoje nas unidades da federação onde ainda vivem as nossas populações, sofrem com a falta dos bens naturais das matas e dos rios, que sempre foram a base de sua alimentação e saúde.

Para o Senador, a falta de respeito com a sobrevivência e mesmo com a vida de crianças, idosos e grupos familiares inteiros se deve hoje a omissão do Estado que não tem sensibilidade para as reais necessidades deles, que querem preservar o seu habitat e também evoluir para melhorar sua qualidade de vida.

“As disputas das terras indígenas pelos não índios tem sido uma luta infernal e o Estado tem que proteger os índios com políticas públicas que respeitem seus direitos e promovam de fato a inclusão das comunidades aos processos sociais e econômicos”, sentencia o Senador.

Projetos na área indígena

Na CCJ do Senado tramita um projeto (nº 169) de autoria de Telmário que cria um novo Estatuto dos Povos Indígenas com 200 artigos, e vai regular a situação jurídica dos índios, povos e comunidades com o propósito de fazer respeitar sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, os direitos originários sobre as terras que ocupam.

Outros dois projetos de autoria do Senador tratam dos interesses dos povos indígenas, como o que institui os territórios étnico-educacionais como forma facultativa de organização da educação escolar indígena (nº 737) e o que altera o nome da Fundação Nacional do Índio para Fundação Nacional dos Povos Indígenas, nomenclatura que valoriza a sua identidade de povos com suas culturas próprias (nº 188). E ainda outro (nº 161) que faculta ao indígena a inserção da sua origem e etnia nos registros públicos e na carteira de identidade.

Por Jair de Farias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*