Telmário defende taxistas

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Em pronunciamento nesta quarta 25, o Senador Telmário Mota posicionou-se contra o projeto de regularização do Uber. Lembrou tratar-se de um negócio que nasceu nos Estados Unidos inspirado na lógica da economia colaborativa da internet. O aplicativo permite ao usuário localizar o carro mais próximo de onde estiver. Em troca, a plataforma recebe dos motoristas 20% do valor cobrado por cada corrida.

Para o Senador, “Hoje, aparentemente, o Uber é uma salvação, a um preço acessível, que todos podem realmente ter. Mas quem não lembra da empresa Gol quando ela entrou no mercado? Quanto custava uma passagem para quaisquer destinos, principalmente o meu Estado? Praticaram preços de até R$ 1,00. Depois, instalaram-se, conquistaram o mercado e passaram a praticar preços que hoje ninguém mais tem condições de pagar para viajar”.

Telmário justificou sua posição contrária ao UBER citando alguns dos  países que rejeitaram o aplicativo, Bélgica, Holanda, Espanha, Itália,  Alemanha, China, Índia, Canadá, Suíça, Argentina, Portugal,  Colômbia, Coreia do Sul e Tailândia. E lembrou que há batalhas judiciais em 80 países, pela concorrência desleal entre o Uber e os táxis tradicionais.

“Sou contra esse sistema do UBER. Ouvi os taxistas do meu Estado, homens trabalhadores, guerreiros, que transportam com lealdade, com competência, com honestidade, que trabalham, que tiram dali – daquele volante – o sustento da sua família, eu não vou cobrir um santo e descobrir outro, são taxistas de profissão. Alguns desses motoristas já estão na terceira geração. Agora, vem aí essa empresa internacional com uma concorrência desleal, contra os nossos taxistas. Eu não vou tirar dos trabalhadores brasileiros para encher o bolso das empresas internacionais. Os taxistas de Roraima têm o meu apoio. Sou contra esse sistema do UBER”. Concluiu o Senador.

Por Jair de Farias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*