É hora de mudar

Foto: Pedro França/Agência Senado

A nação está vivendo uma ressaca cívica e moral sem precedentes, em consequência dos últimos acontecimentos protagonizados pela classe política em todos os níveis de representações – que registram uma assombrosa mácula à nossa história republicana.

Não bastasse isso, a Câmara dos Deputados, pelas últimas decisões adotadas, é coadjuvante de primeira linha deste teatro de horrores que a nação assiste. E ainda mais, prepara-se para encenar um novo capítulo desastroso que será a votação da admissibilidade ou não do segundo pedido do STF de abertura de processo contra o presidente Michel Temer.

E o Senado, por sua vez, lamentavelmente, afrontou a nação com a aprovação no decorrer da semana, do financiamento das campanhas eleitorais com dinheiro público – inicialmente R$ 1,7 bilhão, que pode chegar até 3 ou 4 bilhões – que sairá das emendas parlamentares que seriam destinadas as áreas da saúde, educação, segurança, saneamento, infraestrutura e estradas, para todos os Estados.

Claro que a decisão do Senado, inspirada e defendida abertamente pelo líder do governo na Casa, teve a clara intenção de dar continuidade aos desvios de dinheiro das campanhas. Fato é que não se poderia esperar outra coisa de um parlamentar que responde a 14 inquéritos no STF, por corrupção de toda ordem na Operação Lava Jato, venda de projetos de lei, medidas provisórias, pareceres, oitivas em CPIs e propinas na intermediação de contratos.

Para completar, (Onde há mal feitos estão sempre as digitais do líder do governo) as operações da Polícia Federal em Boa Vista, por ordem da 4ª Vara da Justiça Federal de Roraima que vasculham, lacram, apreendem bens e prendem uma família mafiosa, cujo chefe é aquele parlamentar.

O Congresso precisa assumir suas responsabilidades. Lugar de bandido é na cadeia e não nas bancadas e tribunas parlamentares. Basta, é hora de mudar. E o povo de Roraima por sua vez precisa acordar e votar em gente que não envergonhe o seu voto. É hora de mudar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*